sábado, 11 de julho de 2015

A Academia das Ciências e Humanidades de Cabo Verde propõe-se afirmar como instituição credível ao serviço do desenvolvimento


Tendo em conta os "avanços alcançados pela humanidade no que respeita ao acesso à informação, a construção de sociedades baseadas no conhecimento, bem como  interligação entre as ciências e as humanidades, numa lógica de inter e transdisciplinaridade," a Academia das Ciências e Humanidades de Cabo Verde - ACH-CV apresenta-se como um fórum  de "debate e proposta de soluções das grandes questões de desenvolvimento do país e sua integração dinâmica nas comunidades mundiais ancorando no valor do conhecimento" - lê-se na Nota de Imprensa difundida no final da primeira assembleia-geral da Academia, que teve lugar no dia 10 de Julho de 2015, nas instalações do Instituto Internacional de Língua Portuguesa – IILP, na Cidade da Praia.

Com a presença de académicos de diversas gerações, residentes no país e na diáspora, durante este evento  "histórico", conforme realça a Nota de Imprensa, foram aprovadas diversas deliberações e eleitos os órgãos estatutários. De entre as conclusões do Plenário a que se refere a Nota de Imprensa, passo a destacar as seguintes:

1- Reconhecimento do trabalho da Comissão Académica Instaladora, presidida pelo Doutor Onésimo Silveira, na condução da Academia durante a fase da sua instalação, bem como do papel do Poeta Corsino Fortes, um dos promotores da ACH-CV;

2 - Aprovação pelos promotores dos pedidos de admissão de 45 membros fundadores, passando a ACH-CV a ser constituída por  68 membros fundadores, residentes no país e na diáspora;

3- Aprovação do Regulamento Interno e do Regulamento Eleitoral da ACH-CV;

4- Eleição da Mesa do Plenário, para todo o mandato (3 anos), constituída pelos seguintes membros: Doutora Iva Cabral – Presidente; Doutor Jairzinho Pereira – Vice-Presidente; Doutor Carlos Bellino Sacadura – Secretário;

4- Eleição, por sufrágio secreto, sob a condução de uma Comissão Eleitoral, dos demais órgãos estatutários, a saber:

a) Conselho Académico: Doutor Jorge Sousa Brito - Presidente do Conselho Académico e da Academia; Doutor João Lopes, Filho – Vice-Presidente; Doutora Amália de Melo Lopes – Vice-Presidente;  Doutor Bartolomeu Varela – Secretário-Geral; Doutor António Aly de Pina - Tesoureiro;

 b) Conselho Fiscal  - Doutor  Albertino Graça – Presidente; Doutor Manuel Brito Semedo - Vogal; Doutor Júlio de Carvalho - Vogal;

 5- Eleição da Comissão para Marca, Logo, Portal e Infraestruturação Tecnológicada Academia, constituída pelos Doutores Leão Lopes (Presidente), Silvino Évora  e Eurídice Monteiro;

6- Aprovação de Moções de Homenagem ao Membro Promotor falecido Ireneu Fileto Gomes, bem com ao Engº. Horácio Soares, recentemente falecido;

7- Distinção com o título de Presidente Emérito do Membro Fundador Doutor Onésimo Silveira.

Refira-se ainda que o Plenário aprovou o montante mensal da quota dos membros da ACH-CV, que é de mil escudos.

Por fim, o Plenário tomou  conhecimento das linhas orientadoras da ação da Academia das Ciências e Humanidades de Cabo Verde para os próximos 3 anos, apresentada pelo Presidente ACH-CV e do Conselho Académico, Professor Doutor Jorge Sousa Brito, de entre as quais passo a destacar as seguintes, esperando traduzir o mais fielmente possível a alocução do Presidente:

- Consolidação da Academia das Ciências e Humanidades de Cabo Verde - ACH-CV, mediante o envolvimento de todos os seus membros, residentes no país ou no estrangeiro, individualmente ou integrados em grupos ou comissões de trabalho;

- Afirmação da credibilidade da ACH-CV no seio da sociedade cabo-verdiana, mediante um trabalho qualificado, em parceria com as instituições do ensino superior, os poderes públicos e demais entidades potencialmente interessadas;

- Promoção da Academia nos contextos regional e internacional, mediante o desenvolvimento de relações de colaboração e parceria com outras instituições;
 

- Elaboração do plano estratégico da ACH-CV com base numa ampla auscultação individual dos membros da ACH-CV para o levantamento de suas perspetivas e contribuições;
 

- Promoção da investigação científico-humanística sobre questões relevantes, numa perspetiva inter e transdisciplinar;

- Colaboração com as instituições de ensino superior cabo-verdianas em iniciativas e projetos de natureza transversal, que extravasem a atuação de cada uma delas em particular;
 

- Organização de jornadas científicas para a discussão de questões específicas de candente relevância para a sociedade cabo-verdiana e o seu desenvolvimento;

- Promoção da produção académica, mediante patrocínio de estudos e criação de prémios de mérito;

- Criação de condições para a publicação de uma revista académica credível até ao final do mandato;

- Levantamento da diáspora científica cabo-verdiana e identificação das linhas de investigação em que possa participar tendo em vista a promoção da cultura cabo-verdiana e o desenvolvimento do país;

- Promoção do património imaterial cabo-verdiano, na sua diversidade, tendo por base um roteiro de estudos e investigação a ser aprovado;

- Contribuição, através de estudos especializados para a promoção da língua cabo-verdiana, valorando as suas variantes, tendo em vista a sua elevação ao estatuto de língua oficial, no quadro do bilinguismo nacional;

- Até ao final do mandato, revisão dos Estatutos e aprovação dos símbolos e marcas da Academia das Ciências e Humanidades de Cabo Verde.



Praia, 11 de Julho de 2015.

Bartolomeu L. Varela
Professor da Universidade de Cabo Verde
Membro Fundador da ACH-CV



Nenhum comentário:

Ei-los que partem!

Ei-los que partem!
Finalistas do jardim de infância "Turminha da Mónica", de Achada São Filipe, entre os quais o meu filho caçula, festejaram, a 14.7.07, com júbilo e entusiasmo, o fim de uma etapa importante na sua vida! Trajados com o uniforme que, daqui a meses, vão utilizar no ensino básico - poupando, assim, os bolsos das famílias, ei-los que partem para uma nova fase do seu percurso educativo, agora como alunos do ensino básico. Felicidades!

"Aqueles que por obras valorosas se vão da lei da morte libertando"...

"Aqueles que por obras valorosas se vão da lei da morte libertando"...
Em homenagem ao inesquecível Sá, homem da cultura, da educação e de ofícios mil, foi proclamada, em São Domingos, a 14 de Janeiro de 2007, a "Fundação Ano Nobo". Esta é uma das formas encontradas para continuar a obra de Fulgêncio Circuncisão Lopes Tavares, seu nome completo de baptismo. Naturalmente, a música, sua grande paixão, tinha de estar presente no acto de homenagem.