domingo, 26 de janeiro de 2014

A Pedagogia de Montessori e sua contribuição para a educação nos tempos actuais




Nos tempos actuais, confrontamo-nos com propostas de inovações pedagógicas que, supostamente, vêm substituir as abordagens anteriores, consideradas ultrapassadas, ignorando-se o contributo de inúmeros autores que conceberam e experimentaram teorias, métodos e técnicas de ensino-aprendizagem legando o seu contributo, não isento, é certo, de insuficiências, às gerações posteriores de educadores e cientistas da educação.     

O conhecimento dessas contribuições, não necessariamente numa postura apologética e acrítica, é susceptível de nos ajudar a encarar melhor as novas abordagens pedagógicas que, com o tempo, igualmente, irão sofrer mutações e ou aperfeiçoamentos, posto que a qualidade do acto de educar é uma construção permanente, assim como o é o processo de desenvolvimento integral do homem na perspectiva da sua plena realização nos planos pessoal, familiar, cívico, profissional e social.   

Na tentativa de chamar a atenção para a necessidade de resgatar o legado de pedagogos de anteriores gerações, fazemos aqui breve referência à biografia e ao contributo pedagógico de Maria Montessori.

Maria Montessori, nascida em Itália a 31 de agosto de 1870, foi a primeira mulher do seu país a formar-se em medicina, em 1986), tendo iniciado sua carreira, no ano seguinte, como como médica assistente da clínica psiquiátrica da Universidade de Roma. Desde logo, a partir do contacto com crianças deficientes mentais que eram, em geral, misturados com doentes mentais adultos, nos hospícios, começou a manifestar o seu interesse pela educação. Entendendo que se deveria dispensar a essas crianças um tratamento mais pedagógico do que médico, Montessori empenhou-se em estudar outros modelos educacionais vigentes na Europa, especialmente o método adoptado pelo Dr. Eduard Séguin para o ensino de atrasados mentais, tendo ainda estudado pedagogia e psicologia, o que lhe permitiu formou novos conceitos e c desenvolver o seu próprio método.

Depois de obter sucesso no ensino de crianças retardadas, contribuindo, assim, para o que denominamos por "educação de alunos com necessidades educativas especiais", Montessori começou a aplicar seu método junto a "crianças normais", realizando experiências pedagógicas com resultados surpreendentes, que decorrem do modo livre e participado de organizar as aprendizagens. Como refere a educadora, “as crianças precisavam de um lugar calmo e seguro, onde pudessem escolher suas actividades e desenvolver o raciocínio e a personalidade”.

O sucesso da experiência encorajou-a a fundar sua própria escola, a Casa dei Bambini, cujo modelo foi logo seguido por outras escolas em toda Europa, não obstante  a forte oposição dos defensores do sistema ortodoxo de ensino, que temiam as consequências de um método baseado na liberdade e na auto-educação.

Em 1922, numa altura em que o seu sistema de ensino já se tornara muito conhecida, foi nomeada inspectora-geral das escolas públicas da Itália, mas, com a vitória do  fascismo, as escolas montessorianas começaram a ser fechadas e Maria Montessori viu-se obrigada a abandonar o país, permanecendo durante algum tempo na Espanha republicana, depois em Sri Lanka e na Índia, só tendo voltado ao seu país após a Segunda Guerra Mundial, onde leccionou na Universidade de Roma. 

Mas, em face do seu renome, permaneceu ali por pouco tempo, tendo feito várias deslocações com o propósito de supervisionar a formação de novos professores. Viria a fixar-se definitivamente  em Holanda, onde faleceu a 6 de Maio de 1952.

Numa justa homenagem a esta pedagoga, a Organização das Nações Unidas declarou 1970 (ano do centenário de seu nascimento) como Ano Internacional da Educação.

Montessori escreveu mais de uma dezena de livros versando diversas questões de ensino e educação, de entre os quais se destacam: “Método da pedagogia científica aplicada à educação” (1909), “Auto-educação nas escolas elementares” (1912), “O método Montessori avançado” (1919), “A criança” (1936), “Educação para um novo mundo” (1946) e “A mente absorvente” (1949), no qual se ocupa das crianças com menos de três anos de idade.”



Partilhamos, em seguida, com a devida vénia, dois vídeo-aulas que dão uma visão geral e sucinta da pedagogia de Montessori, ainda de marcante actualidade.


1 - Sobre os princípios gerais do Método Montessori:

http://youtu.be/ZMIdeKR_bak




2- Sobre os três pilares práticos do Método Montessori:


Praia, Cabo Verde, 26 de Janeiro de 2014.
Bartolomeu Varela

Ei-los que partem!

Ei-los que partem!
Finalistas do jardim de infância "Turminha da Mónica", de Achada São Filipe, entre os quais o meu filho caçula, festejaram, a 14.7.07, com júbilo e entusiasmo, o fim de uma etapa importante na sua vida! Trajados com o uniforme que, daqui a meses, vão utilizar no ensino básico - poupando, assim, os bolsos das famílias, ei-los que partem para uma nova fase do seu percurso educativo, agora como alunos do ensino básico. Felicidades!

"Aqueles que por obras valorosas se vão da lei da morte libertando"...

"Aqueles que por obras valorosas se vão da lei da morte libertando"...
Em homenagem ao inesquecível Sá, homem da cultura, da educação e de ofícios mil, foi proclamada, em São Domingos, a 14 de Janeiro de 2007, a "Fundação Ano Nobo". Esta é uma das formas encontradas para continuar a obra de Fulgêncio Circuncisão Lopes Tavares, seu nome completo de baptismo. Naturalmente, a música, sua grande paixão, tinha de estar presente no acto de homenagem.